Topo
Este site usa cookies
Os cookies que usamos permitem usufruir de todas funcionalidades e ter uma boa experiência de utilização. Os cookies essenciais são imprescindíveis para o bom funcionamento do site e só podem ser desativados alterando as preferências do browser. Os cookies analíticos recolhem e analisam informação sobre a utilização do site, de forma anónima, que nos ajuda a melhorar a experiência de navegação.
Aceita cookies analíticos?
Serviço Nacional de Saúde
República Portuguesa

Hospital Beatriz Ângelo

Navegação Principal do site

 
 
 
 
 

Casos Clínicos Hospital Beatriz Ângelo: nova edição

2020-03-11

Casos Clínicos Hospital Beatriz Ângelo: nova edição

Na altura em que celebra o 8º aniversário, o Hospital Beatriz Ângelo (HBA) publica uma nova edição da sua revista Casos Clínicos. Aqui são divulgados 41 casos clínicos de doentes que foram acompanhados no hospital entre 2018 e 2019, selecionados entre os mais significativos do ponto de vista clínico.

"O HBA caracteriza-se pela prática de uma intensa atividade assistencial, inclusivamente em áreas de grande complexidade, com elevados padrões de qualidade e segurança, com elevados níveis de eficiência, e pelo exercício de uma medicina de equipa”, salienta no editorial da revista Rui Maio, diretor clínico adjunto do HBA e editor da publicação. Esta revista é, por isso, não só "o resultado natural do trabalho diariamente desenvolvido”, como também da "capacidade formativa” do hospital.

Assim, nesta 6ª edição da revista, divulgam-se casos clínicos que "traduzem a efetiva diferenciação técnica e científica dos profissionais nela envolvidos e a qualidade assistencial do trabalho de equipa da instituição onde ela decorre”.

Rui Maio recorda, a propósito, alguns dos números da atividade do HBA, entre janeiro de 2012 e janeiro de 2020:
  • Mais de 1,2 milhões de utentes atendidos em consultas;
  • Mais de 1,5 milhões de doentes atendidos nos respetivos serviços de urgência;
  • Mais de 100 mil cirurgias;
  • Cerca de 20 mil partos;
  • 97.200 sessões de hospital de dia.
"Esta intensa atividade assistencial e a preocupação no escrupuloso cumprimento do contrato nunca nos impediram de investir na formação pré e pós-graduada e na investigação científica, pois estamos profundamente convencidos que os melhores hospitais são aqueles que, além da atividade assistencial, se dedicam ao ensino, à formação e à investigação”, acrescenta Rui Maio, para concluir: "Esta também foi uma aposta ganha”.

 

voltar