Topo
Este site usa cookies
Os cookies que usamos permitem usufruir de todas funcionalidades e ter uma boa experiência de utilização. Os cookies essenciais são imprescindíveis para o bom funcionamento do site e só podem ser desativados alterando as preferências do browser. Os cookies analíticos recolhem e analisam informação sobre a utilização do site, de forma anónima, que nos ajuda a melhorar a experiência de navegação.
Aceita cookies analíticos?
Serviço Nacional de Saúde
República Portuguesa

Hospital Beatriz Ângelo

Navegação Principal do site

 
 
 
 
 

COVID-19: recomendações a 6 de março de 2020

2020-03-06

COVID-19: recomendações a 6 de março de 2020

O que é o novo coronavírus? 

O Coronavírus 2019-nCoV (atualmente designado SARS-CoV-2) é uma nova variante de vírus da família Coronavírus, detetado inicialmente no final de 2019, em doentes relacionados com um mercado de peixe na cidade de Wuhan (Província de Hubei, China).

É resultante de uma mutação aparentemente originária em animais e posteriormente transmitida ao Homem não se conhecendo ao certo como tal sucedeu.

O SARS-CoV-2 é semelhante a outros Coronavírus, como o SARS (Severe Acute Respiratory Syndrome, identificado na China) e o MERS-CoV (Middle East Respiratory Syndrome, identificado na Arábia Saudita e outros países do Médio Oriente).

Como se transmite? 

Não é ainda conhecido o modo como o vírus foi transmitido ao Homem.

Contudo, sabemos que a transmissão entre humanos se faz através de gotículas associadas a tosse e a expectoração, assim como através do contacto com superfícies ou objetos contaminados.

A transmissão ocorre entre pessoas antes mesmo do início de doença.

Existe ainda a possibilidade de transmissão por aerossóis (partículas aéreas de muito pequena dimensão), essencialmente aquando da realização de determinados procedimentos nas unidades de saúde.

A maioria dos casos existentes na Europa e todos os casos diagnosticados em Portugal resultam de transmissão com origem na China ou de pessoas que contactaram com casos provenientes desse país.

Como se manifesta a doença? 

Tal como noutras infeções virais, o número de pessoas portadoras do vírus mas sem doença (portadores assintomáticos) não é conhecido.

A doença causada pelo SARS-CoV-2 é denominada COVID-19 (Coronavirus Infectious Disease 2019) e a sintomatologia é essencialmente respiratória, semelhante a síndrome gripal, consistindo em febre, tosse, expetoração e dificuldade respiratória. Nem todos os sintomas estão presentes em simultâneo.

A doença tem maior gravidade em pessoas mais idosas, com doenças crónicas ou sob medicação que lhes reduz as defesas.  A maioria das situações decorre sob a forma de doença sem complicações. Cerca de 20% dos casos tem uma situação grave. A mortalidade situa-se entre 2 a 3,5% dos casos conhecidos de doença.

Como me posso proteger? 

A principal medida de prevenção consiste em não se deslocar para áreas com elevada transmissão ativa. Dada a evolução da situação, é necessário consultar as atualizações, as quais estão disponíveis no site da DGS (www.dgs.pt/corona-virus.aspx) ou do ECDC (https://www.ecdc.europa.eu/en/geographical-distribution-2019-ncov-cases). De acordo com as instruções da DGS, são áreas com transmissão comunitária ativa do COVID-19 a China, a Coreia do Sul, o Japão, Singapura, o Irão e as regiões Emiglia-Romagna, Lombardia, Piemonte e Veneto, em Itália. Esta informação foi veiculada pela DGS em 27 de fevereiro de 2020.

Deste modo, são fortemente desaconselhadas todas as deslocações evitáveis para essas regiões.

Em caso de absoluta necessidade, nessas localizações recomenda-se a proteção da face na presença de pessoas com sintomas respiratórios ou em locais fechados, recomendando-se igualmente a frequente higienização das mãos com água e sabão ou com soluções alcoólicas (na impossibilidade de lavagem das mãos com água e sabão), após o contacto com superfícies de uso comum.

Dada a evolução rápida da situação, abrangendo cada vez áreas mais amplas, com restrições maiores à mobilidade, são globalmente desaconselhadas viagens não necessárias para fora do País.

No dia-a-dia, recomenda-se a lavagem das mãos com água e sabão após contactar com superfícies de uso comum e evitar mexer com as mãos não lavadas na cara e olhos são medidas essenciais.

Como proceder se regressar de uma área afetada? 

Se veio de uma área com transmissão comunitária ativa do COVID-19 nas últimas 2 semanas…  

E/OU

… contactou nas últimas duas semanas com um ou mais casos confirmados ou prováveis de COVID-19, definidos pelo sistema de saúde;

E/OU

… tem febre (>38oC) ou outros sintomas respiratórios (tosse, expetoração, falta de ar), …

… ligue para a Linha SNS 24 (808 24 24 24) e siga as instruções que lhe forem dadas. 

O que é um caso suspeito?

Um caso suspeito refere-se a uma pessoa que apresenta temperatura igual ou superior a 38oC, tosse, expetoração ou dificuldade respiratória e que:
  • é proveniente de uma área sob transmissão ativa na comunidade;
  • e/ou que contactou com um caso provável ou confirmado como sendo portador assintomático ou tendo doença (COVID-19).
O que é uma situação de baixo risco de contágio?

É a situação em que houve apenas contacto ocasional:
  • Pessoa que permaneceu num ambiente fechado com um caso confirmado de COVID-19 até 15 minutos ou a uma distância superior a dois metros.
  • Pessoa com contacto com caso confirmado de COVID-19 até 15 minutos e a mais de dois metros.
O que é uma situação de alto risco de contágio?

É a situação em que houve um contacto próximo:
  • Pessoa residente na mesma habitação de caso confirmado de COVID-19.
  • Pessoa que teve contacto físico direto com um caso confirmado de COVID-19 (exemplos: cumprimentos).
  • Pessoa com contacto direto não protegido com secreções infecciosas de um caso confirmado de COVID-19 (exemplos: exposição a tosse, mexer em lenços de papel com mão sem luva).
  • Pessoa com contacto não protegido a menos de dois metros e durante pelo menos 15 minutos com caso confirmado de COVID-19.
  • Pessoa que permaneceu de forma não protegida num ambiente fechado com um caso confirmado de COVID-19 durante pelo menos 15 minutos e a uma distância de menos de dois metros (exemplos: sala de aula, sala de reunião, sala de espera de unidades de saúde).
  • Profissional de saúde ou outra pessoa cuidadora direta, de forma não protegida de um caso confirmado de COVID-19, ou trabalhadores de laboratório envolvidos no manuseamento de produtos biológicos de um caso confirmado de COVID-19, de forma não protegida ou com possível quebra no equipamento de proteção.
  • Contacto em aeronave com caso confirmado de COVID-19 nos dois lugares adjacentes (em qualquer direção) e membros da tripulação envolvidos na assistência na secção do caso de COVID-19 (se a gravidade dos sintomas ou o movimento do caso confirmado de COVID-19 na aeronave apontarem para maior risco de exposição, os demais passageiros da mesma secção ou até de toda a aeronave podem ser considerados contactos próximos).
Como saber mais sobre o Coronavírus?

 

voltar