Topo
Este site usa cookies
Os cookies que usamos permitem usufruir de todas funcionalidades e ter uma boa experiência de utilização. Os cookies essenciais são imprescindíveis para o bom funcionamento do site e só podem ser desativados alterando as preferências do browser. Os cookies analíticos recolhem e analisam informação sobre a utilização do site, de forma anónima, que nos ajuda a melhorar a experiência de navegação.
Aceita cookies analíticos?
Serviço Nacional de Saúde
República Portuguesa

Hospital Beatriz Ângelo

Navegação Principal do site

 
 
 
 
 

Maria João Heitor doutorada em Medicina com distinção e louvor

2019-07-12

Maria João Heitor doutorada em Medicina com distinção e louvor

Maria João Heitor, diretora do Departamento de Psiquiatria e Saúde Mental e do Serviço de Psiquiatria do Hospital Beatriz Ângelo, concluiu a 2 de julho, na Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa (FMUL), o doutoramento em Medicina, especialidade de Medicina Preventiva e Saúde Pública. A sua tese – intitulada ‘Promoção da saúde mental no trabalho: Estudo observacional de determinantes biopsicossociais e presentismo’ – mereceu a aprovação unânime do júri, com distinção e louvor.

A tese de Maria João Heitor teve por base uma investigação desenvolvida desde finais de 2012 com 405 trabalhadores de uma grande empresa bancária portuguesa, sobre stresse organizacional e sofrimento psicológico, conciliação trabalho-família, absentismo e presentismo (ou seja, pior desempenho laboral por causas físicas ou psicológicas), aspetos psicossociais e genéticos da resiliência e bem-estar dos trabalhadores.

Entre as conclusões, Maria João Heitor destaca que:

  • alguns ‘stressores’ organizacionais (por exemplo, segurança no trabalho, recursos e comunicação, e equilíbrio trabalho-família) são preditores de presentismo, mediados ou não pelo bem-estar psicológico;
  • há diferenças na resiliência consoante o sexo e a função no trabalho (para níveis mais altos de stresse, os homens e os trabalhadores mais diferenciados aparentam maior resiliência);
  • o exercício físico, a medicação receitada e o equilíbrio trabalho-família constituíram, na amostra do estudo, preditores de autoperceção de saúde;
  • o investimento na saúde mental dos trabalhadores tem uma importância central no contexto laboral, com impacto na produtividade da organização e no bem-estar dos trabalhadores.

O orientador da tese foi José Pereira Miguel, catedrático jubilado de Medicina Preventiva e Saúde Pública da FMUL.

Na foto em cima, a nova doutora e o júri: da esquerda para a direita, António Vaz Carneiro (catedrático de Medicina Preventiva e Saúde Pública da FMUL), José Pereira Miguel, Miguel Xavier (catedrático de Psiquiatria e subdiretor da Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Nova de Lisboa), Maria João Heitor, Isabel Loureiro (catedrática de Saúde Pública da Escola Nacional de Saúde Pública e vice-presidente do Conselho Nacional de Saúde), António Barbosa (catedrático de Psiquiatria da FMUL) e José Melo Cristino (presidente do Conselho Científico da FMUL e presidente do júri das provas de doutoramento).
 

voltar